Esta es un versión antigua publicada el 2021-03-18. Consulte la versión más reciente.

Retórica da Perda nas eleições presidenciais brasileiras em 2018: religião, medos sociais e tradição em foco

Autores/as

  • Christina Vital da Cunha Departamento de Sociologia, Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Universidade Federal Fluminense

Palabras clave:

retórica da perda; religião; evangélicos; eleições 2018 Brasil; Jair Bolsonaro

Resumen

Neste artigo refletimos sobre a produção de duas estratégias políticas que nomeamos Retórica da Perda e Aliados dos Evangélicos. Nosso foco recaiu sobre a mobilização delas durante as eleições presidenciais brasileiras de 2018, em especial, pelo então candidato Jair Bolsonaro. Buscamos explorar a convergência entre narrativas e interesses religiosos e seculares nesses processos tendo em vista que jogos de ocultação e revelação do religioso se desenrolam acentuadamente na política brasileira nas últimas duas décadas. As reflexões que desenvolvemos aqui são fruto de um trabalho coletivo e interinstitucional de acompanhamento das eleições 2018 no Brasil. Neste pleito, gramáticas e perspectivas religiosas foram apresentadas e defendidas à luz de narrativas que enfatizavam tradição e segurança produzindo esperança sobre um resgate da autoridade, de estilos de vida e valores sociais que estariam sob ameaça na atualidade.

Publicado

2021-03-18

Versiones

Cómo citar

Vital da Cunha, C. . (2021). Retórica da Perda nas eleições presidenciais brasileiras em 2018: religião, medos sociais e tradição em foco. Plural. Antropologías Desde América Latina Y Del Caribe, 2(6). Recuperado a partir de https://asociacionlatinoamericanadeantropologia.net/revistas/index.php/plural/article/view/153